quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

A "Lenda" de Korra




Meu Deus, como "A Lenda de Korra" é fraco, velho.


As três primeiras temporadas apresentam o mesmo tipo de vilão, apenas com "skins" diferentes: persona que quer algum objetivo extremo, seja de forma fanática, política ou caótica. Já na quarta temporada, a premissa é idêntica a de "O último Mestre do Ar" só trocando a nação.


Mas o pior mesmo é a protagonista. Korra não engrena em momento nenhum e, toda vez que perde, o desenho faz um estardalhaço com isso. Não são simples derrotas: ou ela é humilhada, ou perde a memória, ou os poderes, ou a ligação com outros avatares, etc. A personagem passa o desenho inteiro perdida, se apaga na presença dos outros e pior, várias vezes, como na terceira temporada, fica o tempo todo sendo sequestrada e resgatada, muito parecido com os clichês femininos ultrapassados dos romances de cavalaria.


E por falar em clichês, basicamente TODA TEMPORADA apresenta OS MESMOS: o vilão é sempre o mesmo arquétipo, sempre tem um personagem específico do lado dos heróis que se mostra ser um traidor para o lado dos vilões. Fora isso, as reviravoltas são tão previsíveis que qualquer um percebe a jogada que os roteiristas estão planejando episódios antes de acontecer.


Apesar disso, "A Lenda de Korra" não é um desenho realmente ruim. Seus personagens secundários são interessantes, tem ideias boas aqui e ali e roteiros esforçados. Mas a repetição na fórmula e a protagonista mal explorada e desenvolvida são problemas que, para mim, deixaram a série muito aquém do que poderia ser. E isso porque nem falei do relacionamento amoroso jogado no último episódio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário